Google+ Followers

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Estoque de Materiais na Obra- Madeirite e Compensados


Materiais armazenados de forma inteligente reduzem perdas e aumentam produtividade nos serviços


Reportagem: Giovanny Gerolla


Fotos: Marcelo Scandaroli
A movimentação de materiais no canteiro de obras toma grande parte do tempo de trabalho diário dos operários. Por isso, o ideal é pensar, com carinho, em uma organização otimizada dos estoques para acabar com deslocamentos desnecessários no canteiro. "Se considerarmos que a mão de obra representa metade do custo de uma obra, fica então muito óbvia a importância deste planejamento", avalia Ubiraci Espinelli, professor da Poli-USP e diretor técnico da Produtime.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Para criar um estoque inteligente, Espinelli enumera, em linhas gerais, itens que devem ser considerados antes do início da construção: que materiais serão recebidos na obra?; em que quantidade eles serão recebidos?; quando e onde serão usados?; em que momento devem chegar? "É preciso tomar decisões sobre como recebê-los, onde serão estocados, que espaços estarão disponíveis, onde serão processados e quais artifícios estarão à mão para movimentá-los e processá-los."
Fotos: Marcelo Scandaroli
Outra solução que facilita o planejamento dos estoquesé a elaboração de um projeto que mostre, no canteiro, onde cada tipo de material estará armazenado, prevendo transporte, trânsito de funcionários e espaços para o processamento dos produtos. Veja a seguir dicas para melhorar o armazenamento dos principais materiais de construção e agilizar os deslocamentos em sua obra.
ETAPAS DA OBRA
Veja abaixo algumas dicas úteis para planejar o local dos estoques de materiais de acordo com a etapa da obra.
Terraplanagem, fundações e subsolos
» Escolha áreas do terreno onde não haverá movimentações de terra.
» Contêineres para armazenamento de materiais podem ser facilmente deslocados, se necessário.
Estrutura
» Assim que possível, usar o subsolo para a estocagem de insumos básicos, como cimento, aço e fôrmas.
» Gruas ou cremalheiras devem chegar facilmente ao subsolo.
Alvenaria
» Reserve uma área para o processamento da argamassa de assentamento.
» Parte dos blocos pode ser estocada diretamente nos pavimentos.
Revestimentos, esquadrias e instalações hidráulicas
» Planeje as atividades para não sobrecarregar o transporte vertical, que será bastante usado.
» Grande parte da área de estoques deverá ser destinada ao armazenamento de cerâmicas, louças, portas e janelas.



OUTROS MATERIAIS
Chapas de compensado
» Se não houver local coberto para armazená-las, utilizar lona ou qualquer proteção contra intempéries.
» A estocagem é horizontal, para que o produto não empene.
» A pilha não deve exceder 1 m de altura.
» As chapas devem ser suspensas por pontaletes, sem encostar diretamente no piso.
Cerâmicas de revestimento
» A armazenagem deve ser feita em local coberto e protegido.
» A altura máxima das pilhas, sobre estrado de madeira, é indicada na embalagem pelo fabricante.
» As caixas devem ser organizadas por tipo de cerâmica, tamanho, cor e modelo das peças.
Tubos e conexões
» Devem ser armazenados ao abrigo do sol e separados por tipo de junta e por diâmetro.
» A altura máxima de empilhamento não deve ultrapassar 1,80 m.
» Não se deve colocar um tubo dentro do outro para economizar espaço.
» As conexões são mantidas fechadas na embalagem para evitar extravios ou contato com intempéries.
» Se as conexões forem fornecidas soltas, devem ser guardadas em caixas separadas e etiquetadas segundo tipos de linha, junta, marca, série, diâmetro e classe.
Materiais elétricos (fios, tomadas, interruptores, disjuntores, etc.)
» São armazenados em locais fechados para evitar extravios e exposição às intempéries.
» Os produtos devem ser separados em prateleiras e identificados.
» Manter as peças dentro de suas embalagens originais até o dia da instalação.

Apoio técnico: Rodrigo Vaz, Carlos Gustavo Marucio e Carlos H. Linhares Makohin, engenheiros da BKO; Ubiraci Espinelli, diretor técnico da Produtime e professor da Poli-USP
Fonte:
http://www.equipedeobra.com.br/construcao-reforma/37/artigo220679-1.asp
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário